Tempo de Lua e Pausa de Lua


Após anos de ciclos regulares, meu ciclo não veio. 
Eu estava viajando e meu marido estava em casa, então eu sabia que não estava gestante. Então entendi que esse era o Portal para a Menopausa, o primeiro sinal do meu relógio biológico começar a parar. Mas, depois de 40 dias, meu útero voltou a fluir. Alívio e tristeza se mesclavam dentro de mim. O alívio era reflexo das lembranças de liberdade que eu senti durante a gestação e os anos de lactação… A tristeza, de perceber que meu fluxo estava se preparando para cessar. 

Você ainda é cíclica? 
Você está no meio da menopausa? 
E, caso não, está se preparando com consciência para o momento em que seu fluxo vai parar? 
Como é sua relação com o estágio do ciclo em que está (ou com a falta de ciclo?) 

Em minha adolescência e nos meus vinte anos eu odiava a menstruação. Eu achava que era um incômodo, um problema, um empecilho… 
Então, chegaram os anos que eu passei me familiarizando com meu fluxo. Eu aprendi a acolher e a tirar força espiritual dele. Eu comecei a apreciar seus presentes de intuição e seu convite para tomar tempo para descansar, sonhar, criar, mergulhar em meu centro e apenas Ser. 
Parte desta jornada, para mim, foi de resgatar nomes diferentes para o ciclo menstrual. Tempo de Lua, Fluxo de Lua ou apenas Meu Ciclo eram palavras que eu usava em honra da conexão entre nossos ciclos, enquanto mulheres, e os ciclos da lua (ambos com 28,5 dias de duração). 
Essas palavras reconhecem as semelhanças que nossos corpos têm com a lua: a natureza cíclica, os fluxos e refluxos, as marés emocionais pelas quais passamos… 
São ritmos naturais que podemos surfar como ondas se os acolhemos (ou podemos sofrer se escolhemos lutar contra eles…). 

Se meu ciclo é um Fluxo de Lua, então seu fim é melhor descrito como Pausa de Lua
Frente a frente com a inevitável pausa de minha lua, me comprometi a ser o mais consciente possível durante a jornada minguante, um pouco para compensar, como eu melhor podia, pela falta de consciência que havia no época do meu primeiro ciclo… 

Como a maioria de nós não teve boas-vindas à feminilidade quando chegou a hora, temos agora a oportunidade de chegar ao fim de nossos anos de ciclo com o máximo de consciência possível. 

Como você vai honrar sua transição, quando chegar a hora? 
Ou, se sua Lua já pausou, como você pode honrar os anos que passou com ciclos? 
Como você pode honrar a nova fase da feminilidade em que você está? 

Em preparação para minha Pausa de Lua, eu comecei a coletar amuletos que representavam minha gratidão ao poder do meu sangue de dar vida e para abrir o véu para a profundeza do Grande Mistério. 
Um a um coletei esses amuletos durante alguns anos, em preparação para minha Pausa de Lua. 

A chegada do meu primeiro sangue foi um ato sem consciência, praticamente não testemunhado e certamente não honrado. 

A jornada do adeus aos meus anos cíclicos surgiu como o exato oposto: uma jornada consciente de reconhecimento e reverência à sacralidade do meu Tempo de Lua. Nessa jornada, eu entendi, novamente, que eu não estava no controle… 
Assim como o parto ocorreu no tempo do meu corpo, não no meu tempo, o minguar do Relógio do meu Útero também tinha seu próprio ritmo. 
Mais uma vez me ensinando paciência e humildade perante seu milagre. 
Quando minha Lua Pausou, eu estava pronta. Eu falo da cerimônia nessa postagem aqui.

Convido você a abrir as portas para honrar todas as fases de sua jornada: seus anos de Fluxo de Lua, suas viagens na direção da Pausa da Lua e o momento após ela: seus Anos de Sabedoria… 

DeAnna L'am 

Tradução: Taty Guedes 

Publicado originalmente em: https://www.deannalam.com/red-tent-or-purple-tent/ 

Em novembro DeAnna L'am vai estar pela segunda vez em São Paulo- Brasil e irá oferecer a 1a Certificação da Lua Roxa: a Menopausa como uma Jornada Espiritual. 

Quer fazer parte?
Saiba mais aqui e registre-se: bit.ly/CursosDeAnna2019 
Entre em contato: tendavermelhabrasil@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário