Dia Internacional da Tenda Vermelha



Um grupo de mulheres teve uma visão do futuro em 08 de novembro de 2014. Foi durante a última sessão de um Workshop de Ativação da Tenda Vermelha na Cidade do México, para onde viajei desde a Califórnia para ensinar.

Estávamos flutuando em ondas de irmandade, inspiradas uma pela outra e por nossa força interior.  Nossas memórias celulares foram despertadas. Podíamos sentir em nosso sangue e ossos a memória de sentarmos com mulheres em Tendas Vermelhas, Cabanas da Lua, Tendas Lunares: lugares onde as mulheres iam para se renovar a cada mês quando sangravam, por milênios.


Estávamos plantando sementes para uma Tenda Vermelha em cada bairro, uma visão que tive anos atrás por meio do meu trabalho de Empoderamento Menstrual com mulheres. Desde que essa visão nasceu - as Tendas Vermelhas surgiram em quase todos os países da Terra, nas cidades e aldeias, nos festivais e nas salas de estar, na natureza e no interior das cidades. 

Alisa Starkweather deu origem ao Movimento Red Tent Temple, e Isadora Leidenfrost viajou por dois anos pelos Estados Unidos para filmar mulheres em Red Tents, foi então que ela produziu um documentário profundamente comovente chamado "Coisas sobre as quais não falamos: histórias de mulheres da Tenda Vermelha", que trouxe a visão da Tenda Vermelha para milhares de mulheres que a assistiram em todo o mundo.


A Revolução da Tenda Vermelha está aqui! 


Você está sentindo o despertar? 


Há  20 anos atrás, as palavras "Tenda Vermelha" eram associadas apenas a acampar. O livro de Anita Diamant foi lançado em 1997 e mulheres de todo o mundo foram tocadas por Dinah, personagem pouco significativa no livro de Gênesis, que traz à vida as mulheres de sua tribo bíblica que se reúnem mensalmente na Tenda Vermelha: sangrando, dando à luz , sofrendo ... dando sustento e apoio um ao outro, honrando os ciclos femininos, dançando a dança de suas vidas ...


Quando nos sentamos em círculo na Cidade do México, as sementes da consciência da Tenda Vermelha estavam bem enraizadas. O que nascemos juntos foi a folhagem de um poderoso carvalho emergente. Este movimento popular precisava de seu próprio dia de celebração, bem como o Dia Internacional da Mulher, que surgiu do zero em homenagem à greve das mulheres de 1908 em protesto contra as condições de trabalho na indústria de vestuário em Nova York. 


O Dia Internacional da Mulher passou da obscuridade para um dia observado em todo o mundo, fortalecido por quatro conferências globais das mulheres das Nações Unidas, e continua a construir apoio para os direitos das mulheres e sua participação nas arenas política e econômica.


Ao contrário do Dia Internacional da Mulher, nossa intenção não era política ou econômica, mas espiritual. 


Estou profundamente convencida de que tanto a menstruação quanto a menopausa são jornadas espirituais, e parte da missão do meu trabalho é quebrar os tabus em torno dos ciclos de vida das mulheres, tornando a menstruação e a menopausa visíveis e recuperando sua verdadeira natureza espiritual na vida das mulheres em todo o mundo.


As mulheres esconderam sua menstruação e sua menopausa por muito tempo! 


Ter um dia para celebrá-las é uma forma de sair do armário menstrual, ecoada por mulheres em todo o mundo. Embora esta celebração seja um destaque anual, a jornada de recuperação da menstruação e da menopausa é uma dedicação cíclica que as mulheres são convidadas a assumir diariamente e mensalmente.


Espero que quando minha filha for mãe (se ela decidir se tornar uma), o Dia Internacional da Tenda Vermelha seja uma celebração familiar, na qual gerações de mulheres celebram quem são, e que as meninas em desenvolvimento não conseguiriam imaginar um momento quando o mundo nunca esteve sem ele.


DeAnna L'am

https://www.deannalam.com/celebrate-international-red-tent-day/

Nenhum comentário:

Postar um comentário